CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura


sexta-feira, 30 de novembro de 2012

QUEIMOU O BOLO

Rita Lavoyer



Queimou o bolo.

O bolo queimou!

Era para ser um bolo,

Um bolo de cenoura.

Queimou o bolo,

O bolo queimou!

Porque em cima,

Muito além do bolo,

“o bonde passou’

Era o que eu lia, sentindo na

Consciência o cheiro de bolo queimado.

_ Queimou o bolo?

_ Só porque fui eu que pedi?

_ O bolo queimoooouu !!??

Já não é mais bolo aquele queimado.

Por causa da minha leitura

Não comeram o bolo

nem os filhos

nem o amado!

“ o bonde passou” ...


Rita Lavoyer

domingo, 25 de novembro de 2012

VITAMINA AO MAR



VITAMINA AO MAR.


RITA LAVOYER



Amor!

Por que deixaste-me sem

nada dizer?

Amor!

A ti não pedi o amor,

apenas quis te amar.

Disseste-me: sim!

Acreditei...

poder ofertar-me a ti.

Amor!

Onde jogavas o que eu te dava,

transformando-te em ser tão fraco?

Fiz-me tua fonte de energia,

teu suporte.

Produzi no meu laboratório a melhor vitamina

para rejuvenescer-te, tornar-te belo.

Quando já te viste forte, criaste coragem

para jogar-me ao mar.

Amor!

Existe também o genérico,

por que optaste pelo similar?

Sem rótulo, clandestino, espionado e...

pagando tão caro para

dividir com outros a mesma cartela.

Quanto chorei quando riram de ti

esta infeliz divisão...

Mares e mares...

Sei que dele amargaste o fel

da contraindicação.

Não leste a bula do produto:

“maléfico à reputação”?

Amor!

Na minha cápsula há amor. Somente!

Jogaste-me ao mar, amor!

Jogaste-me ao mar!

Com as ondas arrebentei-me nas pedras.

Agora andas com os pés pregados na areia.

Vejo-te náufrago, concentrado em cismas,

colecionando conchas partidas,

tentando pregá-las

na tua seara povoadamente desértica.

Encontra-me!

Entre uma onda e outra,

encontra-me antes que me levem embora.

Embora as marés altas tentem me arrastar,

encontra-me,

ainda estou no mesmo lugar,

presa entre as pedras arrebentada.

O que produzo é por ti.

Posto que comprimido.

O que produzo é por ti!

Estou submersa, mas posso vir à tona.

Puxa-me! Puxa-me!

A ti ofereço-me vitamina novamente.

Elas estão transbordando na água que te lambe os pés.

Por favor!

Permita-me continuar te amando,

mas suplico-te:

toma do meu recipiente,

fortaleça-te novamente

para tomar-me à força nos teus braços

antes que minha pérola

vire âncora

neste ainda tão mar, amor!



Autoria- Rita Lavoyer

terça-feira, 20 de novembro de 2012

COZINHANDO GALO




Tem dia que as palavras ficam presas. Daí vem a Duxtei solicitando o texto para esta coluna, dia 23. Não demora ela torturará o meu psicológico.  Fui verificar no Google os fatos históricos do dia para ver se surgia ideia. Se pelo menos fosse para o dia 20 eu teria um monte de coisas para falar! Chamou-me a atenção isto: “23/11/1994 - Representantes de 138 países reúnem-se em Nápoles, na Itália, e aprovam um plano de ação global para conter o crime organizado.”

Pensei nas dificuldades dos jornalistas e “escrevistas” de um passado distante, sem recursos, somente um radinho que lhes transmitia notícias para tecerem matérias  e olhe lá! Será que os editores torciam por tragédias? Mas sobre quais podiam escrever?

Tem gente disparando balas e não esgota o assunto “mensalão”. Aos ministros justos escrevem confetes!  Não escreverei doçuras.  

Confesso: hoje estou sem criação! Por isso, resolvi cozinhar galo.  Crio no imaginário  um galo pescoçudo, bom para torcer. De repente, por um deslize de imaginação o deixo cair num tacho com água fervendo, perdendo sua crista. Imagino linguiças, pego-as e, com elas, vou amarrando o galo, digo: o texto. Quero encher com abobrinha também. Acho melhor ralar, mas vai tomar muitas linhas e eu dou preferência por ela inteira mesmo.  Pronto, recheei-o!

Ponho pimenta malagueta para não dispensar a imaginação. A criação está começando a ficar vermelha! Ou melhor - azul. Não! Os dois: meio vermelha e meio azul para igualar os olhos da criação: um da esquerda; outra da direita. Penso que vermelho com azul dá roxo.  Mas não de hematoma de torcida se acotovelando.

Pego a minha criação fervendo e amasso! Ô criação de conteúdo duro de sair, sô!? Acho que está se rendendo. A torcida sempre ajuda.

Para não me comprometer com nenhum órgão de defesa dos animais de duplo sentido, e nem com a torcida, vou começar outro texto, trocar o galo por  outro personagem. Será que se eu tomar emprestado alguém do mensalão haverá torcida? Mudo o título para: “Um alguém  sozinho não tece nada, como nunca antes...”.  Aí vem um justiceiro, salva o personagem e o faz herói!  Vê? Inventar e escrever é só começar e as palavras desaprisionam-se, a criação já está borbulhando. A torcida ficou mais forte agora!

Só tenho que tomar cuidado para não ser presa, o que é muito mais fácil, por soltar as minhas palavras criando um plano de ação animal com método imaginário de torturar galo, logo eu, que nem curto rinha de galo e nem jogo no bicho. Tem galo no grupo desse jogo?

  Vão cantar de galo na minha cabeça, justificando minha prisão como sendo um “controle inibitório de imaginações sem sentidos”.  Aí, só por injustiça, permaneço com este texto mesmo e digo que não sabia de nada!

 Mas se eu for presa a Duck vai junto.  Ouviremos  pela manhã o galo cantar quadrado. Vou ler todos os meus textos pra ela, na cela.  Tortura, com tortura se paga! 

Afinal, hoje é 23, tá! É Cabra. Mas pode ser CabRita e Cabral , aquele que diz que um galo sozinho não tece uma manhã! Seremos 3. Com a Duxtei, 4, que será libertada para  não caracterizar formação de quadrilha textual. Vai que vira crime organizado, descaracteriza o plano de ação global de 1994.  Tudo culpa do galo, o único que pagou o pato nesta história do dia 20, que na organização do grupo é peru. Já que antecipamos datas, pego uma cachaça e começo outro plano de torturar peru. Digo que já é Natal e enfio o bicho morto no saco do Papai-Noel do povo.  Tem bicho que toma cachaça no mensalão?  

                                                                    
Texto publicado na coluna Tantas Palavras - Jornal Folha da Região em 20/11/2012.
Para entender as datas do texto: Duxtei, a secretária da UBE Araçatuba, agendou-me para o dia 23/11 - sexta-feira. Mas a coluna Tantas Palavras só acontece às terças-feiras. E o texto foi produzido para o dia 23, sem percebermos as trocas das datas kkkkkkkkkkkkk

DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA, 20/11

 
 
 
Bullying não é brincadeira!
 
Essa é a minha bandeira

sábado, 10 de novembro de 2012

MONSTRENGAMO -NOS!

Ela entrou na minha casa. Ele não se lembra o dia, mas o ano foi 2009. Entrou pela tela plana, planou monstruosa sobre ele. Coitadinho!


Já não era mais o mesmo. Já não é mais o mesmo. A monstrenga  entrou e foi contagiando aquele ser tão indefeso.

_ Vem ver, mãe!

Quando a coisa vem pra valer não adianta fugir dela. Em poucos dias a pequenininha já estava monstrengando também. Sem demora, já éramos três monstrengados dentro de casa, curtindo a monstrengona. E a curtição ficou generalizada. Não tem aparelho com tecla que não toque as músicas dela aqui em casa. “Monstra”!Confesso que fui um pouco resistente, mas essa genética herdei  dos filhos contagiados.    Mas faltava 1.

Durão, o papai de todos não queria saber de monstro nos ouvidos dele, nem diante dos olhos dele. Nada da criatura perto dele. Foi teimoso! Até o dia de os bilhetes para o show estarem à venda. Adquiriu-os no primeiro dia! O coraçãozinho do meu filho disparou com o presente. 

Foi contagem regressiva, controlando os corações.

Contagiado, o meu marido embarcou agorinha, 2 dias de antecedência, com o meu filho, para assistirem ao show da Lady Gaga em São Paulo.

Monstrengona, estou muito feliz por todos nós! O meu filho merece!

Estão certinhos eles, filho e pai!
 Espero que não voltem gagás!

imagem internet

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

FAÇA PARTE DA CAMPANHA ' BLOGUEIRO ORIGINAL'


O blog existe para que qualquer pessoa possa ter seu espaço na internet, dar a sua opinião, ter um texto avaliado e receber comentários. Simples assim.

O problema é que, em nome da "liberdade de manifestação" - ou sei lá como chamar -, muita gente usa o espaço para ficar copiando conteúdo alheio, principalmente de sites. Usam notícias e imagens descaradamente para atrair acesso com a desculpa de que estão "citando a fonte".

Pura balela de quem não tem capacidade de criar conteúdo próprio. E há pessoas que dão a desculpa de que muita gente vê tal notícia apenas em seu blog porque tem dificuldade de navegar em sites de notícias e fofocas. Outra balela!

O blogueiro de verdade tem conteúdo próprio, e se esforça pra isso. Quando alguém acessa o que ele escreve, quer saber o que pensa sobre determinado assunto e não ver a reprodução de uma notícia exaustivamente divulgada em sites e redes sociais.

Para piorar a qualidade da blogosfera, sites especializados na indexação de posts divulgam estes artigos "chupados" de sites. Talvez façam isso pela falta de conteúdo original, mas deveriam realizar uma boa peneira.

Blogar não significa copiar conteúdo de site, nem de ninguém. Se você decidiu criar seu blog e resistir bravamente em tempos de Facebook, invista nele. Não seja mais um giletão.

Lembre-se: plágio é burrice e atestado de incompetência!

Mostre aos seus leitores que não precisa copiar nada de ninguém. Use o selo de nossa campanha e ajude a divulgá-la para uma blogosfera de qualidade:

Fonte :blog do Zé Marcos -  www.blogdozemarcos.com