CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quarta-feira, 28 de julho de 2010

PAI, VOLTA PRA CASA!


Imagem da internet


_Pai, volta para a nossa casa, a mãe está sofrendo. Ela quer lhe pedir perdão. Ela disse que se encontrou com Deus. Além do mais, já está quase chegando o dia dos pais e eu preciso cumprimentá-lo nesta data. Volta pra casa, pai!


Já sou homem e entendo o que assistia. Mas não falava nada, tudo me era conveniente, era jovem e imaturo. Ainda que não a ame mais, não encontre satisfação, volta pra casa pai, vocês fizeram um contrato de comunhão. O senhor não tinha o direito de deixar a mãe.


O que essa outra tem que a mãe não tem? Também sou homem, está nos fazendo passar vergonha. Perdeu o seu juízo, perdeu a sua postura. Volta pra casa! Que palhaçada de dizer que “ainda é homem”, está agindo como um playboy. Olha a idade dessa outra e depois enxergue a sua!


Por que diabos acha que ela o ama? Ainda que ela se declare toda ao senhor, é a minha mãe a sua esposa. Acha que vai se refazer em outros braços? Ela só quer o seu dinheiro! Um homem na sua idade deveria acumular experiências. Já está na idade do mingau, vai acabar comendo bronha.


Pai, volta pra casa! Nós iremos perdoá-lo. Esse amor que diz sentir, não demora vai passar. Essa mulher pode revigorá-lo agora, mas quando adoecer ela irá abandoná-lo, e quem irá limpar o seu traseiro será a minha mãe. Eu sou seu filho, também sou homem e conheço o fogo da paixão. Você já é velho, não tem mais idade para amar. E essa sua nova mulher é coisa do diabo.


_ Meu filho, na sua idade eu diria a mesma coisa. Torceria pela união dos meus pais, mesmo que não fossem felizes. Com a minha experiência, filho, aprendi que amor eterno não existe mesmo. Enquanto eu esperava o “até que a morte os separe” acontecesse, pensava que jamais teria a chance de ser amado com um amor cheio de paixão. Meu filho, essa nova mulher me fez ver o amanhã. Ela reviveu o homem que ainda há em mim, em quem eu já não acreditava mais. Se ela é coisa do diabo, digo-lhe que o diabo também é bom, porque ela, com todo o seu amor, além de me fazer homem, também me remete a Deus. Sou experiente sim, e ela me ama de verdade. O que ela fez eu não sei, mas comecei a viver novamente, meu filho, a partir do momento que me entreguei a ela. Deus está onde há amor. Eu estava ao lado da sua mãe e ela nunca me viu. Diga-lhe que eu a perdoo. Vivemos a sua educação juntos, não vou virar-lhes as costas. Filho, tomara um dia você cresça. E que não demore a enxergar o homem atrás das suas aparências.
-----------------------------------------
Quanto poder as palavras têm? Filho, eis aí o teu pai.


Homem também chora e a dor da saudade brotou no peito deste humanizado. Deixou a sua amada e retornou à antiga casa. Deus age quando O pedem; o diabo, como quer. Mas entre mulher e homem, não devemos meter a colher, quanto mais se esta for de pau.


O homem volta para casa para lustrar as aparências abafando o amor no peito.
Alguns tentam formar novo laço, mas se preocupam demais com a qualidade da fita, esquecendo-se de apertar o nó.
E assim uns caminham; outros, pulam...
Mais vale um pai morto com bumbum lavado pela mãe ou um homem vivo, de cara suja, pelo amor de uma mulher?
Por favor, seja um bom filhinho quando for responder.

RITA LAVOYER

quinta-feira, 22 de julho de 2010

BATATAS PODRES



"Não necessitam de médicos os que estão sãos, mas sim os que estão enfermos.” _ Jesus. (Lucas, 5:31.)

Ouvia muitos adultos dizerem, quando eu era criança, que uma batata estragada dentro de um saco acaba estragando as boas.

Como eu não consigo me safar dos meus afãs, a batata insistiu em fritar na minha cabeça. Não havia como eu me acalmar diante de tantas batatas que me consumiram em um determinado momento. Recorri à geladeira. Sabe aquele dia que não encontramos nada na geladeira, nem uma batata? Pois é. Foi assim mesmo. Eu não tinha uma batata para acalmar a minha angústia. Fui ao mercado, daquele do tipo 'super', a procura de uma batata que me mostrasse o que eu precisava entender.

Na banca, as mais belas e brilhantes saltavam aos meus olhos suplicando: “leve-me, consuma-me, nasci para isso.” Cada uma pedia por si. Pois é, não eram essas consumíveis que eu queria. Mexi, derrubei, catei, e gostei de ver algumas caindo e se machucando no chão.

_ A senhora precisa de ajuda? – Perguntou-me educadamente, porém assustado, um funcionário daquele setor.

_ Preciso de uma batata podre, pode me ajudar a achar uma? – Respondi de súbito.

O olhar estranho do rapaz sobre mim mostrava o que realmente uma batata podre representa a alguém.

_ Senhora, as batatas podres não vêm para a banca, nós as jogamos fora. Não expomos batatas podres. Ninguém procura batata podre, principalmente para comprar.

_ Eu estou a procura de uma, moço, pode me ajudar?
_ Se tiver alguma por aqui, vai estar bem lá em baixo.

Primeiro passo da minha teoria: As batatas vistosas ficam sempre por cima. Heureca primária.
Segundo passo: Conforme vamos selecionando as mais vistosas, as rejeitadas vão descendo para aguentar o peso das saudáveis.

_ Moço, eu quero e vou achar uma batata estragada aqui.

Fui ensacando as batatas boas para sobrar espaço à minha investida, afinal louco existe para alguma coisa. Achei! Não uma, mas várias batatas com uma parte dela escurecida.

_ Moço, achei várias batatas começando a estragar...

_ A senhora vai comprá-las?

Uma pergunta tão simples me atingiu sem que eu esperasse. Por que eu compraria batatas que já estavam começando a estragar seu eu tenho à minha frente batatas vistosas?

_ Mas se elas não estivessem lá em baixo, certamente não estariam nesse estado e já teriam sido consumidas...- Tentei explicar.

_ A senhora não tem o que fazer? Observe o tamanho da banca! Desde quando batatas são vendidas, são expostas umas sobre as outras.

Percebi que o tempo do funcionário era curto e a teoria que eu ainda não tinha defendido não funcionaria ali. Separei as batatas machucadas e devolvi as ensacadas no seu lugar, afinal pessoas queriam pegá-las.

Terceiro passo: Se o pedaço estragado for cortado, poderei consumir o pedaço que ainda está bom; mas para consumi-lo terei que comprar a batata pagando pelo valor inteiro dela, boa ou não.

Quarto passo: Fui observar por que a batata estava estragada naquela parte. Notei que dentro de todas as partes estragadas havia um corte onde acumula o fungo que prolifera e acaba por estragá-la por inteira, caso a sua outra metade boa não seja aproveitada.
_ A senhora não tem dinheiro, quer que eu peça ao gerente dar essas batatas estragadas pra senhora?

Fui tentada a aceitar, mas como não sou perfeita...

_ Não, moço, muito obrigada! Passarei no caixa e pagarei pelo preço que estão pedindo por elas. Ainda há muito nelas que eu posso aproveitar.

Naquele dia a minha geladeira ficou cheia até o horário do jantar, quando eu fiz uma fritada de batatas, todos da minha família comemos, saboreamos e sobrevivemos até para contar a história.

Ah, só para encerrar, quero dizer que pode haver alguns enganos sobre teorias de batatas podres dentro de um saco. Será que os ferimentos que elas trazem no interior de suas podridões foram feitos por elas mesmas no momento em que foram colhidas?
Na dúvida, deixemos as bocas dos sacos abertas, nenhuma ferida é curada no abafamento, todos precisamos respirar.

Texto publicado no Jornal Folha da Região em 21/07/2010.
imagem internet

quarta-feira, 7 de julho de 2010

PERDÃO ÀS FLORES!

imagem da internet





Perdão às flores!


José Geraldo Martinez



Perdão às flores!

Não as soube colher certamente...

Senão entregá-las a falsos amores,

que passaram por minha vida de repente!


Perdão às rosas,

que balançavam em meu jardim docemente...

Para depois secarem em algum canto,

colhidas por minhas mãos, friamente!


As hortências, margaridas, violetas...

Lírios, jasmins, antúrios e "Marias-sem-vergonha"!

Cravos, palmas e alecrins...

Sem razão colhidas por mim!

Perdão às flores...

Que perfumaram meus falsos amores!

Toda minha ilusão...

Enquanto aquela que merecia

todas as flores que colhia...

Ganhou sequer um botão!

" Soubesse um homem o significado
de entregar uma única flôr a pessoa certa
..."
( Martinez )


-------------------------------------------------------------



Perdôo

RITA LAVOYER

Perdôo-te, meu jardineiro,
Pois sinto em mim o perfume,
Aquele que depositaste primeiro
Quando escalaste da minha haste ao cume.

Perdôo os espinhos que não me feriram,
Embora cravados na carne que os sente,
Viraram semente desta serenata
Que canta, em algum canto, uma dor que não mata.

Nas palmas de cetim, cravaste teus cravos.
Outrossim...
Vendo-te assim, tão cheio de chagas
Pelos acúleos de outros jardins.
Do aroma da tua dor, sinto-me baga.

Perdôo, oh, pólen desta flor desvalida
À Palma-de-Santa-Rita foste açoite,
Novamente, faça-me do teu jardim a Dama-da-Noite.

Se mereço, mesmo sem desabrochar,
Receber do teu trato a jardinagem.
Vem, meu brotinho.
Tirarei da tua alma os espinhos.


----------------------------------------------------


PERDÃO, NÃO PEDIREI


Hamilton Brito

Entregar uma flor à
pessoa certa, diz o poeta.
Eu entreguei flores às
que amei.
Se as amei...
Por rápido que passaram
em minha vida
nunca foi de repente.
As amei no momento
...um amor pungente.
Foram flores bem colhidas
perfumaram as horas vividas
aquelas que passei com você.
Não tive falsos amores
logo, não dou e nem peço perdão.
Não tenho as chagas que em outro vê.
A mais bela serenata de amor, nesta vida
eu a cantei só pra você.
E nunca fui de cravar nada nas pessoas
muito menos em você,
logo você, que eu amei
e amo
como nunca amei
ninguém.